Vereador Adriano Martins acusa Câmara de Bayeux de criar obstáculos para eleição indireta e mostra portas fechadas: “a gente não consegue entrar”

O vereador Adriano Martins acusou a Câmara Municipal de Bayeux de criar obstáculos para a a eleição indireta que deve escolher prefeito e vice, nesta quinta-feira (13). O impasse em torno de sua realização já a fez ser suspensa e restabelecida por diversas vezes.

Hoje, Adriano Martins e os vereadores Lico, Uedson e Netinho tentaram entrar na Secretaria Legislativa, mas foram barrados. A Câmara disse em nota que eles tentaram pegar documentos sem permissão e acionou a Guarda Municipal.

Já o vereador Adriano Martins declarou ao ClickPB, agora às 16h15, que os secretários Lico e Netinho apenas queriam trabalhar e foram impedidos. “Nós estamos trabalhando aqui. Vereador não trabalha só duas vezes por semana não. Tem expediente aqui na Casa e nós estamos sendo impedidos de entrar.”

Adriano contou  que o vereador Roni Alencar teria informado que Inaldo Andrade, presidente da Câmara, foi sequestrado e que o secretário legislativo, que gerencia a sala da Secretaria Legislativa, estava com Covid-19 e, por isso, não havia acesso à sala. Adriano sugeriu chamar um chaveiro e, então, a Câmara teria acionado a Guarda Municipal e a Polícia Militar.

Adriano Martins falou da dificuldade da Câmara em cumprir as determinações sobre a eleição indireta e enfatizou: “se for preciso eu faço a eleição até embaixo do pé de manga que tem aqui.” Ele e os demais vereadores aguardam até as 17h a notificação da Justiça para que a Casa realize, ainda amanhã, a eleição indireta, que havia sido suspensa para retificação do edital. O grupo de parlamentares disse que, se a notificação não for feita hoje, vai estar às 7h desta quinta-feira aguardando a Câmara ser notificada no endereço.

Fonte G1 Política

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: