Preta Gil, Gloria Groove e Caetano: Bolsonaro faz posts com músicas de artistas contra o governo

O presidente Jair Bolsonaro (PL) utilizou músicas de artistas declaradamente contrários a ele em publicações de promoção a ações do seu governo. No último sábado, cinco publicações institucionais usaram como trilha sonora canções de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gloria Groove, Preta Gil, Priscilla Alcântara e Daniela Mercury. O uso feito sem o consentimento dos artistas gerou revolta nas redes sociais.

O presidente usou a versão de ?Andar com fé? gravada por Gilberto Gil e Caetano Veloso para divulgar o investimento de “R$ 2,8 bilhões em ações de proteção e defesa civil”. Na publicação, o político explica que o orçamento teria sido utilizado na distribuição de água potável, insumos e medicamentos a população atingida por chuva ou seca no país.

No segundo post, outra música de Caetano é utilizada. Desta vez “Leãozinho” embalou a notícia de que o INSS aumentou para 40% a margem de crédito no empréstimo consignado para segurados a partir de programa autoral.

?Só o Amor?, gravada por Preta Gil e Gloria Groove, foi usada para fazer propaganda sobre a desestatização portuária, e “Empatia”, da cantora Priscilla Alcântara, para divulgar a “ação humanitária “de acolhimento a venezuelanos. Por fim, “O canto da cidade” de Daniela Mercury embalou a entrega de 74 cisternas no Ceará.

A ação do presidente desagradou os artistas. Paula Lavigne, empresária, produtora e mulher de Caetano Veloso, se manifestou em comentário nas redes: “Gente, como é que esse indivíduo usa música e interpretação de artistas que ele detona nas redes sociais”, questionou a empresária. O perfil de Caetano disse que irá processar o presidente por uso indevido das músicas.

Apesar de não ter se manifestado em relação ao ocorrido, Gilberto Gil já falou sobre o governo em outras situações. Em novembro do ano passado, em entrevista ao site francês Franceinfo, o músico detonou as políticas nacionais de enfrentamento à covid-19.

A cantora Gloria Groove mostrou seu posicionamento político no festival Lollapalooza. A artista vestiu figurino com 13 estampado nas costas, em alusão a pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ainda no palco, gritou ‘Fora Bolsonaro’.

Já Preta Gil tem um histórico de embate com o presidente ainda quando Bolsonaro era deputado federal. Em 2013, a cantora processou o parlamentar por racismo após declarações ofensivas em participação no programa CQC, da Band.

Essa também não foi a primeira vez que a música de Priscilla Alcântara foi usada pelo presidente. Na semana passada, a artista se manifestou no Twitter após uso indevido de “Liberdade”, outra música de sua discografia. Na ocasião, disse que nunca mais cantaria a faixa.

Fonte Click PB

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: