Ludmilla elogia Anitta após ter música tocada no Coachella: ‘Viva o funk’

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) — O show de Anitta, 29, no Coachella na última sexta-feira (15) pode ter sido histórico por mais um motivo. Além de ter sido uma das apresentações mais elogiadas da primeira noite do festival, que ocorre nos Estados Unidos, ele pode ter selado a paz com Ludmilla, 26.

A relação das duas estava estremecida desde 2019, quando lançaram em parceria a música “Onda Diferente”, que também conta com participação do Snoop Dogg, 50. A canção foi a escolhida para abrir o show do Coachella, com direito à presença do rapper americano e aos vocais de Ludmilla.

Após o aceno, Ludmilla elogiou a colega nas redes sociais. “Muito foda ver nossa música ganhando o mundão”, escreveu a cantora ao repostar um vídeo com o trecho da apresentação ?ela também marcou Anitta e Snoog Dogg. “Viva o funk, porra!”

Desde a confusão, que teve a ver com a autoria da composição da música, as duas cantoras não se bicavam. Na época, Ludmilla chegou a lançar uma música chamada “Cobra Venenosa”, que seria inspirada na ex-amiga.

Neste ano, Anitta já demonstrou que está disposta a fazer as pazes com antigos desafetos. Ela voltou a se apresentar com Pabllo Vittar, recebeu Bruna Marquezine em seu show e posou com Simaria nos bastidores de uma premiação internacional. Todas já haviam tido supostos desentendimentos com a cantora.

ENTENDA A BRIGA

A confusão entre Anitta e Ludmilla começou no ano passado por causa de uma polêmica em torno de “Onda Diferente”, música lançada por elas com o rapper Snoop Dog. Compositora da canção, Ludmilla ficou irritada ao perceber que Anitta também estava creditada como autora na ficha técnica da faixa no Spotify.

Segundo ela, o combinado é que ela dividiria os créditos da letra com Snoop Dog, já que essa foi a condição do astro internacional para participar da produção. Anitta não seria incluída.

A ficha técnica foi alterada e o nome de Anitta foi cortado da composição. Mas em junho deste ano, Ludmilla divulgou um vídeo, chamado por ela de carta aberta, em que expôs conversas antigas com a ex-amiga e explicou que foi ao seu limite depois de “aguentar muita coisa calada”.

“Ela [Anitta] é assim, muito ardilosa e faz tudo de caso pensado”, afirmou, na ocasião. Anitta não se pronunciou diretamente sobre o assunto, mas alguns dias depois ela escreveu nas redes sociais, sem citar o nome de Ludmilla, que a sua equipe estava apurando os perfis que estavam propagando mensagens racistas.

“Criminosos covardes que se dizem meus fãs estão propagando mensagens de racismo e injuria racial nas redes sociais. Já disse e repito: Isso é abominável e inadmissível”, afirmou na época.

Em novembro de 2019, ela também se manifestou publicamente quando Ludmilla foi vítima de racismo durante o Prêmio Multishow. Na ocasião, a funkeira foi chamada de macaca enquanto caminhava até o palco para receber o prêmio de Melhor Cantora
“Inaceitável que alguém possa se achar no direito de chamar um negro de macaco ou tentar reduzi-lo como um ser humano inferior. Melhorem. Isso é crime e absolutamente abominável”, escreveu Anitta, no Twitter.

Fonte Click PB

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: