Governo pode manter general na Saúde por tempo indeterminado

 O presidente Jair Bolsonaro disse a pessoas próximas que pode manter no Ministério da Saúde o interino Eduardo Pazuello, general da ativa do Exército, até o fim da situação de emergência da pandemia do coronavírus. O objetivo é evitar o desgaste de nomear alguém que não faça parte do seu círculo de confiança.

Pazuello assumiu como ministro interino no último sábado, após o ex-ministro
Nelson Teich pedir demissão na sexta-feira. Nesta terça-feira, ele nomeou nove
militares para postos do Ministério da Saúde. Além de nomeações para
assessoramento do ministro, os militares ocuparam cargos na área de finanças
do Fundo Nacional de Saúde, e na área de avaliação do Sistema Único de Saúde
(SUS).

O ministro interino afirmou a interlocutores que não será efetivado, porque isso
seria uma quebra da hierarquia militar. Pazuello é general de divisão, chamado
três estrelas, abaixo na hierarquia no caso do Comandante do Exército que é
quatro estrelas e também dos generais da reserva que ocupam espaços no
Palácio do Planalto. Em respeito a essa lógica, tem dito que deve permanecer
como interino.

Políticos do centrão próximos ao governo também vêm aconselhando Bolsonaro
a manter Pazuello na pasta pelo período da pandemia. O argumento é que, por
ser um militar, Pazuello seguiria as ordens impostas por Bolsonaro sem
questionamentos, ao contrário de um médico, como foram os dois ministros
anteriores

Fonte G1 Política

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: